quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O carro está vazio

Há mais de dois anos, rompi a amizade com um colega de trabalho. É claro que foi uma situação muito difícil. Sentia a falta da pessoa, mas parecia imperativo que não nos falássemos mais. Um dia, chegando ao estacionamento da JF, passei pelo carro desse colega. Estacionei o meu, colei a testa no volante e esperei. Esperei pelo amigo. Ele nunca chegava ao trabalho naquela hora, então poderia ser que estivesse dentro do seu veículo me aguardando para que consertássemos as coisas entre nós. Continuei esperando. Chorei esperando.

Nada.

Não aconteceu nada, porque o carro estava vazio. Eu que havia construído uma ilusão. Naquele instante, somente eu fui responsável por meu sofrimento. O problema é que não percebi.

O problema é que não percebemos. Quantas vezes criamos expectativas infundadas? Quantas vezes sonhamos sem resultados? Às vezes, esperamos por fantasmas ou heróis. Outras vezes, esperamos pelo mundo ou pelo destino. No fim, sofremos porque não conseguimos o que desejávamos. Expectativas são frustradas, sonhos se evaporam sem ações para executá-los, fantasmas e heróis não existem de verdade e mundo e destino não nos dão coisa alguma se não sairmos do lugar (e olhe lá).

Estou dizendo para pararmos de sonhar? Minha vontade é dizer que sim, mas esse "sim" envolve toda uma teoria de "aqui e agora" de que não quero falar hoje, porque estou com medo de o blog virar zen demais para o meu gosto. Então não vou dizer que devemos parar de sonhar, mas que nunca ignoremos a realidade. Se tiramos o pé do chão e nos perdemos no emaranhado que é a nossa cabeça, sempre com desejos de ser mais, de ser especial, de querer mais, somente conseguimos frustração e sofrimento. Tudo debitado na nossa conta por nossa conta.

Hoje a situação que narrei quase se repetiu. A diferença foi que, dessa vez, lembrei:

O carro está vazio.

2 comentários:

Euclides Vega disse...

"If you dream and not make dreams your master, If you can think, and not make thoughts your aim.
If you can meet with triumph and disaster and treat those two imposters just the same..."

Luciana disse...

Muito legal, Euclides. :-)

Com a prática, acho que passamos a perceber que "o carro está vazio" cada vez mais rápido. Jah bless!