quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Estar bem

Uma pessoa muito inteligente me disse que há uma concepção errada do que significa estar bem. Em regra, as pessoas pensam nos termos da equação estar sem dor = estar bem. Na realidade, estar bem verdadeiramente é mais do que não sentir dor: é sentir o prazer de viver.

O prazer de viver.

Só em escrever isso, dá vontade de sentir também. Hoje me peguei refletindo sobre o que gosto na vida. Olhei minhas fotos no Orkut e vi meus queridos amigos lá comigo. Sim, gosto imensamente deles. Tenho o privilégio de trabalhar com amigos, não colegas (a maioria, pelo menos). No semestre passado, graças ao amigo hoje Procurador, nós nos unimos muito, saímos muito, rimos muito. Fizemos até sarau! (Em outras palavras, cantamos e desafinamos muito também). Em determinados momentos dessas reuniões, sentia um bem estar enorme e entendia o que era felicidade naquele instante. E há os amigos de outros tempos, nunca distantes, mesmo os que residem em outros estados ou países.

Também gosto imensamente de dançar. Fechar os olhos e dançar. Bater o pé no tablado e fingir que danço flamenco também vale. É sinal de que estou contente quando passo da sala para a cozinha fazendo um grand jeté como se ainda fosse bailarina.

Ouvir música é tudo de bom. Faz o começo da semana ser tolerável: segundas feiras são mais bem humoradas se me preparo para o trabalho cantando a plenos pulmões com a música que está tocando.

E filmes!!! Filmes como Amélie Poulain, Little Miss Sunshine, Juno me fazem sorrir sempre e esquecer o mundo. Mas nem precisa ser dessa categoria de filme que qualifico como filmes ternos para me fazer feliz. Estar no cinema é sempre muito bom. Rever as películas em DVD de novo e de novo é tão bom quanto. Aliás, comprar DVD é um vício meu, admito.

Ler e escrever. Descobri há muito tempo que não tenho o gosto apurado que desejava ter (na época que minha nerdice era mais pronunciada). Há vários, vários clássicos que nunca li e, se os ler, acho que será mais por obrigação do que qualquer coisa. Mas não resisto a um Harry Potter, a um Crepúsculo & CIA (esses dois merecem um post algum dia). Posso intercalar esses com uma leitura mais séria, do porte de On Chesil Beach, mas tudo sem compromisso: se despertou a curiosidade, é lido. Caso contrário, é lido pela metade (que o diga Crime e castigo). Escrever é muito bom também. Estou sorrindo neste exato momento em que teclo estas palavras. Isso já diz tudo.

Criar. Isso foi uma surpresa do fim do ano passado. Ter ideias criativas me empolga! Quando comecei a elaborar os vídeos para a festa de fim de ano, percebi que adoro todo o processo criativo, adoro ter um resultado que é meu ou nosso, se o trabalho for de equipe.

Adoro a filha da minha amiga. Adoro ouvir o tia Quel dela. Adoro cantar com ela no meu colo, vê-la dançar sacudindo os bracinhos, simplesmente vê-la.

Gosto de tantas outras coisas. Um dia desses, duvidei se gostava de olhar para o mar. Gosto mesmo, ou gosto porque todo mundo diz gostar? Tentei ser indiferente. Humpf. Quando percebi, estava com um sorrisinho satisfeito nos lábios. Gosto do mar e da praia. Gosto da noite, do climazinho de uma manhã nascente, do pôr do Sol (se for em Floripa, nem se fala). Gosto de andar a pé nas cidades em que sou turista.

Olha só, olha só... gosto de muitas coisas. Essas coisas me dão o prazer de viver.

E não é que estou me sentindo bem?

4 comentários:

Garota D disse...

Eu também estou me sentido bem, depois de ler esse post, pois eu gosto de todas essas coisas - claro que ninguém me chama de tia :( -, mas tudo bem!

:]

Otávio disse...

As grandes coisas da vida acontecem em breves momentos e palavras doces nos animam...isso é realmente estar bem. Obrigado pelo comentário no meu blog!

Anônimo disse...

Minha querida amiga, suas palavras são maravilhosas de ser ouvidas. Depois de um longo e tenebroso inverso, acho que agora o sol voltou a aparecer. Adoro tudo isso também; adoro ser seu amigo; adoro te ter sempre por perto (mesmo tão longe). Marcos Aurélio.

Raquel disse...

Ai que lindo, Marcos! Vc sabe o quanto vc é importante para mim. Aliás, devia ter dito isso quando estava com vcs aí, mas deu vergonha e depois não falei mais nada, mas nada melhor do que ter começado 2009 com as pessoas que fizeram 2008 valer a pena. bjo