segunda-feira, 12 de julho de 2010

Toy Story 3

Dentre os filmes da Pixar, Toy Story (1 ou 2) nunca foi um dos meus favoritos. Hoje nem me lembro mais do enredo dos dois longas, mas, sempre que lia elogios a eles, atribuía a "coisas que só críticos de cinema entendem" e deixava para lá. Não sei bem dizer qual a razão para isso... para mim, parecia que o "drama" não era tão real quanto o era em Procurando Nemo, Ratatouille ou Up.

Assisti ao Toy Story 3 porque a) muitas pessoas elogiaram; b) gosto de filmes de animação, c) nunca penso em perder um da Pixar. Devo confessar que, na primeira metade da projeção, comecei a desconfiar que tudo se repetiria e que minha opinião estaria na contra-mão (de novo!) da maioria.

Mas vejam só: o filme ganha mais tensão enquanto progride e aí... E aí, que agradável surpresa foi constatar que adorei o Toy Story 3!

Adoro as animações que mostram o nosso mundo - ou, no caso de WALL-E, o nosso suposto futuro mundo - porque posso ficar maravilhada com a perfeição dos gráficos. Dá a impressão de que estou vendo uma filmagem real. Aprendi, nesse post do Mundo de K, que o foto-realismo é um dos movimentos da arte contemporânea (para entender o que é, siga o link). Me ocorreu que essas animações, quando retratam nossa realidade, são foto-realismo em ação. Toy Story 3 tem dessas cenas que impressionam com a impecabilidade dos detalhes e o colorido. A gente até duvida que é animação.

Além da indiscutível qualidade gráfica, acho que uma outra razão para ter gostado do filme é que seu contéudo despertou uma lembrança de infância. Recordei que, às vezes, tinha medo de que meus brinquedos tivessem sentimentos. E então me preocupava com o fato de que pudessem se sentir abandonados e brincava com aqueles que estavam meio esquecidos.

Por último, enquanto procurava alguma foto da Bonnie, a criança mais fofa desde a Boo de Monstros S.A, descobri esta página aqui, que revela vários elementos interessantes nos filmes da Pixar. Destaque para página 3, em que Peter Sciretta demonstra como as personagens dos longas da Pixar estão presentes ou são anunciados em outros filmes produzidos pelo estúdio de animação.

4 comentários:

b arrais disse...

Nossa, Raquel, não acredito que você não gosta de Toy Story e Toy Story 2. Gosto muito desses filmes. Não são os melhores filmes da Pixar, certamente, mas são muito bons. Agora, esse 3, adorei. Caramba, não deu para conter as lágrimas naquela cena que eles estão no incinerador e se dão as mãos para morrerem todos juntos. Eu e Lu ficamos no cinema chorando que só.

Luciana disse...

Foi muito engraçado no cinema, rsrs! Eu tava tentando disfarçar as lágrimas - tava me sentindo meio boba por estar chorando por causa de um desenho animado! - mas aí uma lágrima caiu na mão de Bruno!!

Ele disse que ficou aliviado de ver que eu também estava chorando, rs! No fim, ficamos os dois fungando até o fim do filme. :-P

Raquel disse...

Também chorei. E deu uma leve vergonha quando vi que o Márden percebeu, mas acho que ele já tá acostumado...

Kovacs disse...

Raquel, obrigado pela citação que só percebi hoje! Ainda não assisti a Toy Story 3, mas fiquei empolgado com a sua resenha.