segunda-feira, 12 de julho de 2010

"Eu me divirto" ou "Quando Pablo Villaça detona a saga Crepúsculo"

Okay, reconheço. Li os quatro livros - os dois últimos antes mesmo que saíssem em português.

Okay, confesso. Assisti aos três filmes no cinema - e olha que já havia visto o primeiro em casa, graças à internet.

Okay, admito. Sei que a saga (seja em livro, seja em filme) não é lá essas coisas - ou não é nada, afinal de contas.

Mas permanece o fato de que me divirto muito com as resenhas do Pablo Villaça sobre os três longas até então lançados, baseados nas obras homônimas de Stephenie Meyer.

Sobre Crespúsculo (mais aqui), minhas tiradas favoritas são:
Enquanto isso, os Cullen percorrem os corredores e a cantina do colégio olhando de baixo para cima, ameaçadores, sem que ninguém jamais questione a palidez cadavérica de toda a família (ou talvez todos percebam se tratar de uma maquiagem incrivelmente artificial que não se preocupa sequer em cobrir direito os pescoços e membros dos tais vampiros).
(...) assim que Edward é visto pela primeira vez com sua pele pálida, as sobrancelhas cuidadosamente desenhadas, os lábios destacados por batom e o cabelo milimetricamente despenteado (ele deve passar horas diante do espelho, despenteando o cabelo. Ainda bem que, como imortal, tem todo o tempo do mundo.).
Em relação a Lua Nova (mais aqui), ele escreveu sobre lesmas, hulks e grilos falantes:
"Ora, o segredo de uma obra do gênero é relativamente simples: estabelecer um casal que inspire a torcida e a simpatia do espectador, mas Meyer (e a roteirista Melissa Rosenberg) tortura o público com duas figuras desinteressantes e aborrecidas cujo único atrativo dramático reside no fato da mocinha estar sempre prestes a ser destruída pelo mocinho. Mas nem isso é o bastante; se fosse, alguém já teria lançado um filme chamado A Lesma e o Potinho de Sal."
"Depois de um incidente que leva o sujeito a temer pela segurança da amada, Edward e sua família abandonam o lugarejo, deixando Bella em profundo estado de depressão. Por sorte, ela acaba se aproximando de Jacob (Lautner), mas as coisas voltam a se complicar quando a moça descobre que o rapaz é um lobisomem - ou, considerando que ele se transforma sempre que fica nervoso, um lobishulk."
"Dividida, ela (Bella) passa a se entregar a atividades cada vez mais perigosas mesmo sendo advertida por Edward (que surge numa espécie de visão ou delírio, como um Grilo Falante fantasmagórico) sobre a importância de tomar conta de si mesma."

"Considerando o talento de Bella para atrair pares românticos bizarros, mal posso esperar para chegar ao quarto filme da série, quando ela provavelmente já estará sendo disputada não apenas pelo vampiro Edward e pelo lobishulk Jacob, mas também pela Criatura de Frankenstein, pelo Monstro do Pântano e por Freddy Krueger. A esta altura, as fãs da “saga” Crepúsculo certamente estarão ainda mais comovidas com a natureza sofrida da garota, enxergando-a como uma romântica inveterada.

Já eu consigo ver apenas uma aborrecida lesma suicida."

Na resenha para Eclipse (mais aqui), ele não perdoa, e sobra até para José Serra:
E, com isso, ficamos presos à traminha babaca e juvenil concebida por Meyer, que, jamais abandonando a superficialidade, insiste em chamar de “saga” uma narrativa prosaica durante a qual nada parece acontecer mesmo depois de três episódios.
Bella, aliás, permanece um mistério: vivida por Kristen Stewart com uma falta de vitalidade que faz José Serra soar como Carmen Miranda, a heroína da série é uma moça aborrecida e entediante que, parecendo sempre terrivelmente infeliz, passa a impressão de não conseguir esboçar um sorriso nem mesmo durante o orgasmo (não que Edward a ajude neste sentido) – e, assim, é difícil compreender como uma personalidade tão desestimulante atraiu não apenas o “vampiro”, mas também o lobisomem Jacob.
(...) a roteirista (que se sai bem melhor na série Dexter) ainda chega ao cúmulo de empregar diálogos que apenas ajudam a estabelecer Bella como uma ninfeta estúpida com um fraco por estabelecer o óbvio: em certo instante, por exemplo, quando um dos membros da família Cullen conclui que alguém está “criando um exército”, a protagonista não consegue se conter e emenda: “Um exército de vampiros.” – e fiquei surpreso quando nenhum dos demais personagens se virou para a moça e soltou um “Duh!” em alto e bom som.
Mais uma vez, contudo, Edward parece o par ideal para a heroína, já que, embora tendo vivido 109 anos, parece ter passado toda sua existência (des)penteando os cabelos em vez de se dedicar à leitura, já que se expressa com a articulação de um pré-adolescente viciado em Malhação. Além disso, sua burrice chega ao ponto de permitir que Jacob carregue Bella no colo por quilômetros a fim de despistar o cheiro da moça – que a vilã (vivida por uma desperdiçada Bryce Dallas Howard) seria capaz de captar – apenas para colocar o plano a perder ao decidir acompanhar a namorada. “Ela deve ter seguido o meu cheiro por saber que eu estaria com você!”, ele conclui espantado e provando ser um débil mental.
Viram? Eu me divirto!

4 comentários:

Márcia Denardi disse...

Hahahha... Raquel, ameeeeeeeeei seu post... quase morri de rir tbm, apesar de achar que Villaça, às vezes, seja duro demais em suas críticas quando lhe desagradam e conivente demais quando agradam. De qualquer modo, ele é uma das inspirações pra mim. E cá entre nós, sendo ou não a Saga uma bobagem, é uma história cativante demais pra que a gente seja hipócrita de dizer que não gostou, né? hehehehehe... Beijos e parabéns pelo blog!!

b arrais disse...

Não li os livros nem fui ao cinema assistir aos filmes, mas adorei as críticas! Huahahahaha! Adorei "A Lesma e o Potinho de Sal". Hahahahahaha! Muito bom!

Márden disse...

Muito bom!!! KKKKK. Eu confesso que gosto do gênero, como bem sabe a Garota Elíptica, mas de fato os filmes são muito ruins... Bj

Luciana disse...

Bom, tenho que dizer que gostei tanto de Crepúsculo quanto de Lua Nova, os filmes. Mas tentei ler Lua Nova e não aguentei... É muita neurose que se passa na cabeça da garota e, no filme, isso aparece menos, rs.

Adorei a sugestão de que o próximo namorado dela pode ser Freddy Krueger, hahaha! Ela realmente gosta de um tipo perigoso. ;-)