quinta-feira, 10 de novembro de 2011

A volta de uma bailarina que não foi, mas agora é

Enquanto não escrevo os dois posts que estão se formando aqui na cachola...



Arriscando voar.



Desafiando a quase labirintite, rs.

Depois de onze anos parada, o desafio da vez em relação ao meu retorno ao balé é tentar não ser perfeita e só curtir. Agora, não preciso mais oferecer resistência ao movimento.

A bailarina que não foi não sabia fazer isso. A bailarina que agora é sabe.


3 comentários:

Luciana disse...

Que bom, Ana! Curta bem muito essa volta! Ficar mais madura tem essas vantagens, a gente perde metade das nóias da infância/adolescência, rs. Estou me vendo assim no desenho. :-)

Beijão!

Sara Mota disse...

Querida, vc tb baila com as palavras!Acredite: arrancou duas lágrimas minhas agora e um sorriso!É exatamente isso que sinto aos quase 46anos na aula de balé. Beijos. Vou voltar aqui par ver a continuidade deste post. Amei de verdade.

Laura disse...

E a aprendiz de bailarina que nunca foi aqui fica tentando chegar, no mínimo, perto do que esta bailarina linda faz! :)